8 materiais indispensáveis para professores de reforço escolar

8 materiais indispensáveis para professores de reforço escolar

Tempo de leitura: 6 minutos

A aula particular é uma realidade do professor que precisa fazer renda extra em nosso país. Cada vez mais, pais e responsáveis procuram por um suporte educacional que seja capaz de lidar com as necessidades e objetivos particulares de cada aluno.

Se por um lado, é preciso lutar pela valorização da nossa classe, por outro, essa é uma luta que demanda tempo e iniciativa de muitas instituições. Por isso, aliada à facilidade que a internet nos propicia hoje, é possível se manter como agente transformador de uma sociedade em que a educação, realmente, aconteça.

A parte organizacional e burocrática de uma professora particular parece complicada, mas é simples e indispensável para que você se regularize e não perca nenhum de seus direitos. Por exemplo, se você fizer tudo dentro da lei, poderá usar esse tempo, como professora particular, na contagem de tempo da sua aposentadoria.

Então, vamos aos recursos indispensáveis para colocar as suas aulas extras em ordem.

1. CNPJ

Sim, como dito acima, ao se regularizar e efetuar o pagamento do imposto correspondente, você não perde nenhum benefício previdenciário a que poderia ter direito: como contagem de tempo para aposentadoria e auxílio-doença.

Atualmente, existem professores que preferem assinar a própria carteira como autônomos, mas a saída mais habitual (e menos onerosa) é a criação de um MEI (microempreendedor individual).

Criar o MEI é simples e gratuito, basta acessar o site oficial do governo (clicando aqui), preencher as informações solicitadas e selecionar a função que você vai exercer, qual seja, a de professor particular.

Ao criar o MEI, é gerado automaticamente um número CNPJ, que te possibilita gerar notas fiscais e contribuir com apenas uma taxa mínima para o governo, a chamada guia DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional).

2. Agenda/Planner

A agenda ou o planner são essenciais para a organização de qualquer professora. No caso das aulas particulares, a sua pode ser confeccionada de acordo com o volume de alunos extras que você possui. Por exemplo, se você possui poucos alunos, uma agenda mensal é o suficiente para se programar, porém, caso exista uma grande demanda de estudantes, o ideal é sistematizar uma agenda semanal com os horários estipulados para cada um.

Por exemplo:

É legal, ainda, criar uma logo para incluir em todos os seus materiais, isso demonstra mais profissionalismo para o aluno, para a escola e para a família.

3. Ficha de Anamnese

A ficha de anamnese é uma entrevista inicial com os pais ou responsáveis pela criança para identificar o histórico escolar desse aluno, demais informações relevantes, bem como reconhecer as expectativas da família.

Como sugestões de perguntas que devem estar contidas nessa ficha:

Nome do aluno

Nascimento

Idade

Ano escolar

Escola

Responsável

Contato

Como chegou até mim

Por que busca aulas particulares?

Qual a expectativa em relação ao atendimento?

Como o responsável descreveria o aluno?

Possui outros atendimentos?

Quais?

Profissional

Contato

Pode fazer contato com profissionais?

Pode fazer contato com a escola?

Toma alguma medicação?

Outros pontos importantes:

 

Caso seja possível, também é interessante realizar um contato prévio com a criança e, inclusive, registrar os pontos centrais dessa conversa:

  • O que ela acha sobre a escola;
  • o que acha fácil;
  • o que acha difícil;
  • o que gosta de fazer;
  • preferências;
  • demais coisas que possam ser exploradas.

 

E, não se esqueça, tenha sempre essa conversa com os pais longe do estudante, para que eles se sintam à vontade para relatar as questões cruciais de desempenho e para que ele não se sinta diminuído por uma eventual baixa performance.

 

4. Planejamento do professor

Efetue, sempre, um registro pós-aula de cada um dos seus alunos. Isso é a sua garantia caso escola ou família peçam um parecer do andamento e do desenvolvimento das suas aulas particulares.

 

5. Contrato

Um contrato é o instrumento jurídico apropriado para regular a relação entre professor e família. Por questões legais, deve ser personalizado de acordo com as particularidades de cada caso. Sem ele, você não tem nenhum tipo de respaldo, caso aconteça alguma coisa.

Além disso, também é uma segurança para os pais entenderem como funciona o seu trabalho e traz ainda mais profissionalismo para a sua atividade: esclarecendo os direitos e deveres de ambas as partes.

Algumas cláusulas são indispensáveis para deixar claro o funcionamento do seu acompanhamento particular. Por exemplo: no caso de uma aula ser desmarcada, quais são os direitos do aluno? E do professor?

Lembre-se que o contrato deve ser devidamente assinado por todos em duas vias, ficando uma cópia com você e outra com a família.

 

6. Controle mensal

A ficha de controle mensal é fundamental para saber as datas e os valores de pagamento de cada aluno. Além de prática e super visual, ainda pode ser enviada por whatsapp para conferência dos responsáveis.

 

7. Recibos e notas

Recibos e notas fiscais servem para trazer segurança às famílias e ajuda a professora na hora de organizar as suas movimentações financeiras.  Por isso, tenha sempre em mãos um talão de recibos para controlar as finanças.

Na dúvida, lembre-se de procurar um contador para saber quando deve emitir um ou quando emitir outro.

 

8. Parecer Descritivo Semestral

O parecer semestral das aulas particulares é uma avaliação pedagógica da sua tutoria.

Quando bem preenchido, é um recurso riquíssimo para te dar pistas de possíveis falhas no ensino, ajudando na sua didática e em diagnósticos que te possibilitem dar aulas cada vez mais eficientes.

Em linhas gerais, são materiais que:

  • Ficam com a professora: ficha de anamnese, agenda, planejamento, CNPJ.
  • Com a família: contrato, ficha de controle mensal, recibos e notas fiscais, parecer descritivo.

 

Por fim, você deve estar se perguntando agora, todos esses materiais são OBRIGATÓRIOS para uma professora particular? E a resposta é NÃO. Comece da forma que for possível e se profissionalize aos poucos, isso te ajuda a evitar problemas no futuro e valoriza cada vez mais o seu trabalho.

 

Se esse conteúdo fez sentido para você e você se interessa por ideias práticas do assunto, clique aqui e conheça os cursos da nossa Escola Protagonista.

Gostou? Então, curte e compartilha!

Siga @clarissapereirapedagoga nas redes sociais. Lá nós damos dicas todos os dias para deixar a sua prática de sala de aula mais leve e doce.

Grande abraço,

Iara Rodrigues

(Texto redigido por Iara Rodrigues e revisado por Daiane Garcia).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *